Aberrações

Peixes pastando em rios amarelos, profundos e corredios, em planetas recobertos de ferrugem. Anjos negros sentados em bancos de gelo, tocando canções fúnebres em gaitas rudes. Meninos recém-nascidos, velhos de alma, moribundos; choram famintos abandonados nos jardins dominados pelo verde musgo do desleixo. Mulheres vestidas de armadura, cujo elmo não permite mostrar esgares de medo … Continue lendo Aberrações

Coisas que fiz – publicada originalmente em 28/08/2008

Já roubei flor de um jardim para dar para minha namorada, também roubei beijo! Já pisei em poças d’água da chuva e molhei os amigos Já fiz guerra de travesseiros com minha irmã e acabamos brigando de verdade Já tive sonhei ser cantor, piloto de avião, mágico, bombeiro, hoje sou feliz como humano Já confundi … Continue lendo Coisas que fiz – publicada originalmente em 28/08/2008

Verso no guardanapo de papel

Não sei explicar a razão, mas costumo escrever alguns versos em guardanapos de papel, talvez seja porque quando me vem a inspiração tenho que rabiscar no primeiro pedaço de papel que me vem à frente e casualmente são guardanapos, talvez seja porque o guardanapo de papel me inspire, talvez seja uma simples coincidência, mas a … Continue lendo Verso no guardanapo de papel

Pequena crônica sobre o Amor

O amor é redondo. Não dá para imaginar o amor quadrado, tem que ser redondo, circular, sem início e fim definido. O amor é liquido, mas também é sólido, e por vezes gasoso. Além de cardíaco, o amor é hormonal, linfático e cerebral, mas, sobretudo é energia que flui da alma. O amor não é … Continue lendo Pequena crônica sobre o Amor

A tristeza da rosa

Você fica triste porque perde algo importante como: o emprego, dinheiro, a carteira de documentos, etc. Mas nada e pior do que perder alguém; quer seja alguém que se foi por opção ou que se foi para sempre de sua vida sem te dar possibilidade de reação. A morte é para mim algo complicado e … Continue lendo A tristeza da rosa

Meu anjo da Guarda

  O meu anjo da guarda é estrábico, manco e narigudo [irreverente, às vezes resmunga e solta palavrões Vive descabelado, mas não tira o sorriso do rosto [todos os outros anjos caçoam do meu. Mas não ligo, porque o que importa mesmo é que ele está sempre presente [mesmo quando não preciso. Meu anjo da … Continue lendo Meu anjo da Guarda

Confissões a lua

A lua é excelente cúmplice, pois além de iluminar as noites de paixão, também ouve pacientemente confissões de toda natureza, e não as compartilha com ninguém. A lua entra, sem pedir licença, pela janela e, como um bálsamo, banha a cama dos casais apaixonados. Não pergunta nada, não fala nada, apenas entra e sai quando … Continue lendo Confissões a lua