Como é bom ser criança

Somos energia, espírito, alma, luz. Uma luz que um dia se apaga, enquanto isso temos a obrigação de iluminar nossos caminhos com amor, e seguir nossas vidas com muita felicidade. Esta luz deve brilhar forte todos os dias de nossas vidas, pois além de iluminar nossas mentes, aquece também os nossos corações. Quando criança, somos … Continue lendo Como é bom ser criança

Primeiro de abril

Sou do tempo que no dia 1º. de abril era permitido mentir. Isto mesmo era permitido contar mentiras neste dia, sem que fosse proibido ou mesmo pecado. No dia anterior me punha a pensar que história mirabolante contaria para meus amigos, e ao vê-los admirados soltaria um sonoro: primeiiiroooo de abril! A molecada se esforçava … Continue lendo Primeiro de abril

Um amigo me disse

Um amigo, que trabalha em um projeto que visa melhorar a auto-estima de crianças com câncer e AIDS em estágio avançado, me disse que neste último ano viu e enfrentou situações que para ele são incompreensíveis, e isto tem provocado alguns questionamentos, como por exemplo: Como uma criança com 4 anos de vida, pode passar … Continue lendo Um amigo me disse

O riso do Palhaço

Boas são minhas lembranças de infância quando chegava um circo no bairro. Era fantástico ver a lona sendo erguida até tomar sua forma redonda e multicolorida do circo. Você já se deu conta que o circo é sempre redondo? Creio que o propósito disto seja proporcionar a aproximação. Desta forma, é possível que as pessoas … Continue lendo O riso do Palhaço

O carteiro da minha rua

O carteiro da minha rua chamava-se Valter Alito, e por toda a minha infância eu o vi diariamente subindo ou descendo a rua de terra em que morávamos. As rajadas de vento fazia levantar nuvens negras de um pó fino e pegajoso, que travava a garganta, e quando chovia a rua desaparecia em um imenso … Continue lendo O carteiro da minha rua

Campinho de terra preta

O campinho de terra preta da minha rua, por alguns anos, foi palco de animadas partidas de futebol, e talvez esta tenha sido a melhor época da minha vida. Jogávamos futebol todos os dias no campinho de traves tortas e desproporcionais, feitas pelo Sr. Bento cujos dotes certamente passavam longe da carpintaria. Durante a semana … Continue lendo Campinho de terra preta

Minha adorável professora

Maria Tereza, este era o nome da minha primeira professora. Ainda hoje me lembro de sua beleza e delicadeza que fascinava a todos, especialmente a mim. Talvez não fosse tão bela assim, mas aos meus olhos de menino assustado, que ensaiava os primeiros passos em uma desconhecida trilha, “minha professora” era uma princesa. Tinha a … Continue lendo Minha adorável professora