Aberrações

Peixes pastando em rios amarelos, profundos e corredios, em planetas recobertos de ferrugem. Anjos negros sentados em bancos de gelo, tocando canções fúnebres em gaitas rudes. Meninos recém-nascidos, velhos de alma, moribundos; choram famintos abandonados nos jardins dominados pelo verde musgo do desleixo. Mulheres vestidas de armadura, cujo elmo não permite mostrar esgares de medo … Continue lendo Aberrações