Verso no guardanapo de papel

Não sei explicar a razão, mas costumo escrever alguns versos em guardanapos de papel, talvez seja porque quando me vem a inspiração tenho que rabiscar no primeiro pedaço de papel que me vem à frente e casualmente são guardanapos, talvez seja porque o guardanapo de papel me inspire, talvez seja uma simples coincidência, mas a … Continue lendo Verso no guardanapo de papel

Hoje é seu aniversário

A data exata foi 16 de julho de 1985, um dia frio, cinzento e carrancudo, que às 13 horas e 10 minutos ganhou cores e vida, literalmente, e transformou-se no dia mais radiante da minha vida. Você nasceu e a todo pulmão anunciou que havia chegado. Você cresceu e virou mulher adulta, mas para mim, … Continue lendo Hoje é seu aniversário

A cultura do medo (originalmente publicado em 18/06/2011)

Algumas pessoas estão descobrindo que sofrem de FOMO, que pode ser classificada como uma patologia dos tempos atuais.  FOMO significa medo de perder, ou "fear of missing out", como foi cunhado originalmente em inglês, este acrônimo. Esta patologia se manifesta nas mais diversas vertentes da vida, desde aquele que sofre porque não pôde assistir a … Continue lendo A cultura do medo (originalmente publicado em 18/06/2011)

Pequena crônica sobre o Amor

O amor é redondo. Não dá para imaginar o amor quadrado, tem que ser redondo, circular, sem início e fim definido. O amor é liquido, mas também é sólido, e por vezes gasoso. Além de cardíaco, o amor é hormonal, linfático e cerebral, mas, sobretudo é energia que flui da alma. O amor não é … Continue lendo Pequena crônica sobre o Amor

Parque Trianon

Naquela manhã de fevereiro o sol já brilhava com fúria. Com a disciplina das formigas as pessoas caminhavam a passos largos e apressados pela mais paulista das avenidas. Centena de vezes havia passado na frente daquele parque, mas nunca tive a tentação de parar. Naquele dia, depois de hesitar um pouco, decidi entrar. Logo na … Continue lendo Parque Trianon