A cultura do medo (originalmente publicado em 18/06/2011)

Algumas pessoas estão descobrindo que sofrem de FOMO, que pode ser classificada como uma patologia dos tempos atuais.  FOMO significa medo de perder, ou "fear of missing out", como foi cunhado originalmente em inglês, este acrônimo. Esta patologia se manifesta nas mais diversas vertentes da vida, desde aquele que sofre porque não pôde assistir a … Continue lendo A cultura do medo (originalmente publicado em 18/06/2011)

Pequena crônica sobre o Amor

O amor é redondo. Não dá para imaginar o amor quadrado, tem que ser redondo, circular, sem início e fim definido. O amor é liquido, mas também é sólido, e por vezes gasoso. Além de cardíaco, o amor é hormonal, linfático e cerebral, mas, sobretudo é energia que flui da alma. O amor não é … Continue lendo Pequena crônica sobre o Amor

Parque Trianon

Naquela manhã de fevereiro o sol já brilhava com fúria. Com a disciplina das formigas as pessoas caminhavam a passos largos e apressados pela mais paulista das avenidas. Centena de vezes havia passado na frente daquele parque, mas nunca tive a tentação de parar. Naquele dia, depois de hesitar um pouco, decidi entrar. Logo na … Continue lendo Parque Trianon

Imagens, Ângulos e Visões

A mesma imagem, diferentes quadros, diferentes ângulos, diferentes fotografias, este é o poder do humano ser. Nada errado, nada certo, apenas diferentes maneiras de se ver. O que vale é o que você viu, te tocou e que te fez sentir e pensar. Às vezes passamos a vida buscando o melhor ângulo que pode estar … Continue lendo Imagens, Ângulos e Visões

Enfim veio a chuva!

Era madrugada quando a chuva caiu sem alarde, branda e silenciosa. Veio para molhar, ressuscitar, fazer reviver, depois de um longo período de estiagem e sofrimento. A natureza festejou ao som da chuva que parecia entoar uma alegre canção de celebração à vida. De manhã, a louca passarada, com alegria, festejou a chegada da chuva … Continue lendo Enfim veio a chuva!

Ao poeta das curvas

Cheguei a Brasília no exato dia que seu criador ali estava sendo velado; pura coincidência. O avião, que teve que esperar uma hora para partir, devido a torrencial chuva que caia sobre São Paulo, pousou hesitante. A chuva na saída se apresentou como uma avalanche de lágrimas, infelizmente, verticais e em linha reta, contrariando sua … Continue lendo Ao poeta das curvas